Boas Férias

Novos visitantes!!!

Por informação da Google Statistics, o nosso blogue tem novos visitantes, os quais acedem com frequência às nossas postagens.

Sem dúvida, um motivo de orgulho para todos nós e para a escola.



Brasil, Estados Unidos, Canadá, Espanha, Holanda, Suíça, França, Angola, Ucrânia, Alemanha, Taiwan, Japão, Reino Unido, Porto Rico, Irlanda, Bélgica, Hong Kong, Canadá, Moçambique, Itália, Bulgária, Noruega, Finlândia, Rússia e Timor-Leste.







24/10/10

LENDA DAS AMENDOEIRAS EM FLOR - duas versões

(Versão trabalhada em sala de aula)

Há muitos e muitos séculos, antes de Portugal existir e quando o Al-Gharb pertencia aos árabes, reinava em Chelb, a futura Silves, o famoso e jovem rei Ibn-Almundim que nunca tinha conhecido uma derrota. Um dia, entre os prisioneiros de uma batalha, viu a linda Gilda, uma princesa loira de olhos azuis e porte altivo. Impressionado, o rei mouro deu-lhe a liberdade, conquistou-lhe progressivamente a confiança e um dia confessou-lhe o seu amor e pediu-lhe para ser sua mulher. Foram felizes durante algum tempo, mas um dia a bela princesa do Norte caiu doente sem razão aparente. Um velho cativo das terras do Norte pediu para ser recebido pelo desesperado rei e revelou-lhe que a princesa sofria de nostalgia da neve do seu país distante. A solução estava ao alcance do rei mouro, pois bastaria mandar plantar por todo o seu reino muitas amendoeiras que quando florissem as suas brancas flores dariam à princesa a ilusão da neve e ela ficaria curada da sua saudade. Na Primavera seguinte, o rei levou Gilda à janela do terraço do castelo e a princesa sentiu que as suas forças regressavam ao ver aquela visão indiscritível das flores brancas que se estendiam sob o seu olhar. O rei mouro e a princesa viveram longos anos de um intenso amor esperando ansiosos, ano após ano, a Primavera que trazia o maravilhoso espectáculo das amendoeiras em flor.


(Outra versão da mesma lenda)

Há muitos séculos, antes de Portugal existir e quando o Al-Gharb ainda pertencia aos árabes, reinava em Chelb, a futura Silves, o famoso e jovem Ibn-Almundim que nunca tinha conhecido uma derrota.


Certo dia, entre os prisioneiros de uma grande batalha ,viu uma linda jovem de olhos azuis e porte altivo. Chamava-se Gilda e era conhecida como a Bela Princesa do Norte. Impressionado com tamanha beleza, o Rei Mouro deu-lhe a liberdade e conquistou-lhe a confiança. Certo dia, confessou-lhe o seu amor e pediu-lhe para ser sua mulher.

Durante algum tempo foram muito felizes, mas a Princesa foi ficando cada dia mais doente e cada dia mais triste...

Um velho cativo das terras do norte, pediu então para ser recebido pelo Rei e revelou-lhe que a Princesa sofria de nostalgia da neve do seu país distante. Então, os conselheiros, sugeriram ao rei que mandasse plantar amendoeiras por todo o reino. Muitas amendoeiras que, quando florissem dariam à Princesa a ilusão das neves da sua terra.

O Rei assim fez e, no Inverno seguinte levou Gilda ao terraço mais alto do castelo.

-Ah!... exclamou ela.

Lágrimas de alegria surgiram nos seus lindos olhos azuis.Ficou radiante, sentiu-se revigorar, sentiu que as suas forças regressavam ao presenciar aquela visão indiscritível do branco que se estendia a perder de vista...

O Rei Mouro e a Princesa viveram longos anos de um amor intenso esperando ansiosos a chegada do mês de Fevereiro...

O mês de Fevereiro trazia sempre, ano após ano, o maravilhoso espectáculo das amendoeiras em flor!


" Chelb é uma cidade bela.Está situada numa colina.Tem um castelo e muralhas fortes. Possui belos palácios e mercados ricos.É habitada por Árabes...que sabem improvisar versos..." ( Al-Idrisi )

Esta simples descrição de Al-Idrisi, escrita no séc.X poderia ser a descrição da actual Silves não fosse D.Sancho I tê-la reconquistado aos Mouros no Séc.XII...

1 comentário:

  1. Um das lendas trabalhas em sala de aula.
    Abraço,
    prof. João Caravaca

    ResponderEliminar