Boas Férias

Novos visitantes!!!

Por informação da Google Statistics, o nosso blogue tem novos visitantes, os quais acedem com frequência às nossas postagens.

Sem dúvida, um motivo de orgulho para todos nós e para a escola.



Brasil, Estados Unidos, Canadá, Espanha, Holanda, Suíça, França, Angola, Ucrânia, Alemanha, Taiwan, Japão, Reino Unido, Porto Rico, Irlanda, Bélgica, Hong Kong, Canadá, Moçambique, Itália, Bulgária, Noruega, Finlândia, Rússia e Timor-Leste.







24/10/10

Anaísa e Adriano

Era uma vez uma menina que foi adoptada por um mouro e que passou a chamar-se Anaísa.

Numa floresta encantada vivia um grupo de mouros, que um dia encontraram uma menina abandonada e muito solitária, resolveram adoptá-la. Certo dia, em combate, o Adriano estava quase a morrer e a Anaísa teve de tomar o seu lugar. Mais tarde, quando a Anaísa estava a passear pela floresta, encontrou uma gruta e lá dentro estava uma mulher chamada Áurea, ela era uma feiticeira, que podia curar a vida do Adriano e a Anaísa perguntou-lhe:

- Será que podes-me ajudar?

- Ajudar no quê? – Perguntou ela desconfiada.

- O meu amigo está quase a morrer. - Declarou muito aflita.

- Sim, eu vou ajudar-te. – Disse-lhe em tom amável.

Elas chegaram ao acampamento e a feiticeira perguntou onde estava o doente, eles foram-lhe mostrar a tenda onde ele estava. E ela perguntou-lhes:

- Será que me podem deixar sozinha com o doente? – Perguntou ela.

- Sim, claro. – Disse o chefe da tribo.

- Anaísa, posso falar contigo? – Questionou-a muito preocupado.

- Sim, com certeza! - Exclamou de imediato.

- Vem aí um combate muito importante. - Disse o chefe, não muito contente.

- E eu vou ter de entrar? - Perguntou ela.

- Sim, porque o Adriano está muito doente. – Afirmou ele muito triste.

- Sim, chefe! Tudo o que você quiser. – Respondeu a jovem também muito triste pelo Adriano.

Quando chegou o dia do combate, todos os cavaleiros estavam prontos. O Adriano ainda não estava bom, antes de ir para o combate ela foi à tenda do Adriano. Anaísa sentou-se no chão e começou a chorar, uma lágrima caiu no peito dele.

Eles ganharam a batalha, quando ela chegou o Adriano já estava bom e ele confessou-lhe que gostava dela e ela também disse que gostava dele.

Eles casaram-se e foram felizes para sempre!


Contributo de Carla Matos, 6ºA

1 comentário:

  1. Carla, continua a escrever. Estás cada vez melhor.
    Abraço,
    Prof. João Caravaca

    ResponderEliminar